La Belle Époque [extra] – Algumas Maisons

           Jacques Doucet –  Sucessor de Worth, ele transforma o comércio dos botões de luxo, das lingeries,  rendas, cambrais finas e camisas sob medida da maison que herdara nos últimos anos do séc. XIX. Muito talentoso sobrepondo coloridos pastel. Os vestidos eram transparentes, muito ornamentados, que lembravam ao mesmo tempo o rococó do séc XVIII e o brilho impressionista do séc XIX. Sua clientela gostava de tecidos leves, vaporosos e translúcidos.

          Paul Poiret – Assistente de Doucet, abriu sua própria maison em 1904. Era um visionário e rompeu com as tradições de seus antecessores. Inicialmente propõe o estilo Diretório, com a saia reta até 5 ou 6 cm do chão, com a cintura colocada debaixo do busto, tirando o famoso espartilho marcante da época de cena. Mais tarde, com inspiração oriental, Poiret veste suas clientes com pantalonas bufantes, turbantes e estampas com cores vivas. Em 1911, é lançado o primeiro perfume desenvolvido por um costureiro, com o nome de Rosine ( sua filha mais velha). Ele também cria tecidos e estampas para serem usados em suas roupas ou para decorações. Adorador e incentivador da arte moderna, ele convida artistas, escritores, gráficos e maquetistas para trabalhar com ele. Com a guerra, sua maison fica abalada, mas ainda sim lança o uso das cinta-ligas, meias cor-de-pele e saia-calça. Cria os primeiros sutiãs modernos e inicia a moda do fourreau (vestidos-sacos). Mesmo com essas criações e lançamentos,  Poiret fecha sua maison.

            Mariano Fortuny – Artista de personalidade singular, dedica-se à pintura, escultura, fotografia, criação de tecidos, aos desenhos de móveis e a coleções de obras de arte variada. Ele patenteou os vestidos aos quais criou os maravilhosos plissês e desenvolveu novos processos de tingimento, que deixavam tonalidades ‘lunares’ (com reflexos), chamando-os de Delphos. Eram fourreaux longos, colantes e ondeados, de seda finíssima. Fortuny cria também um penhoar-quimono, que encantou diversas mulheres com sua excentricidade. Issei Miyake adaptou as técnicas e materiais de Fortuny e apresentou sua coleção Pleats Please, sucesso mundial ainda hoje. 

Bibliografia : Moda do século – Cosac e Naify

2 Comentários (+adicionar seu?)

  1. Marina
    mar 22, 2012 @ 20:56:33

    Que máximo!!
    Lindíssimos e a história tb é legal.

    Responder

  2. Aline Miranda
    abr 11, 2012 @ 21:21:09

    Incrível, ótima pesquisa… acho que é por isso q eu não consigo mesmo manter nenhum blog… pq eu não tenho paciência p escrever e pesquisar! Tá mto bom, meus parabéns

    Responder

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

Digite seu endereço de email para acompanhar esse blog e receber notificações de novos posts por email.

Junte-se a 66 outros seguidores

Blogs que sigo

Buenos Aires Para Todos

Crônicas da Reina del Plata

Jirka's Blog

my academic blog for my graphic design course at the Arts University College at Bournemouth 2009-2012. © Jirka Väätäinen www.jirkavinse.com

polishyoupretty

Just another WordPress.com site

The Life Styled

Where life and fashion go hand in hand.

%d blogueiros gostam disto: